Daniel Carniel

Natural de Garibaldi, Daniel Carniel é formado em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo, e tem experiência em Rádio, TV, Jornal, e Assessoria de Imprensa. Iniciou a carreira na Rádio Planalto AM de Passo Fundo e atuou no Jornal Novo Tempo de Garibaldi, TV Record, e nas rádios Guaíba e Gaúcha de Porto Alegre. Acadêmico de Direito na Escola Superior do Ministério Público integrou a assessoria de imprensa do vice-governador do Rio Grande do Sul entre 2011 e 2014. Atualmente é sócio proprietário da Diffusione Comunicação,empresa que tem sede em Garibaldi RS

Não temos muito a esperar de 2017

05/01/2017 - Fonte: Portal Adesso

Compartilhe:

     Sei que é chato iniciar a primeira coluna do ano abordando um tema que para muitos soa como choro, para outros, é realidade nua e crua. Porém, como formador de opinião, tenho o dever de tratar fatos e notícias com clareza, sem tapar o sol com a peneira. Analisando por vários prismas, chegamos a conclusão que viveremos mais um ano difícil em nosso Município, Estado e País. Mas de onde tirei estas conclusões?

     Bem, politicamente e economicamente, o Brasil está no fundo do poço, onde políticos incompetentes e pilantras, sem nenhuma vergonha na cara, comandam os principais poderes e órgãos. Até as próximas eleições, navegaremos sem rumo e de quem é a culpa? A culpa é nossa, da população que não sabe votar ou troca seu voto por algum favor pessoal.

     No Estado, teremos pelo menos mais dois anos de agonia, onde um cidadão completamente despreparado e sem nenhum projeto, caiu de paraquedas no Palácio Piratini e brinca de governar. Portanto, 2017 será mais um ano de atraso de salários, greves e baderna no Rio Grande.

     Nos municípios a situação é semelhante, com exceção de Caxias do Sul, a praga da reeleição tomou conta da Serra Gaúcha e muitos prefeitos se reelegeram. Quem fez no primeiro mandato fez, quem não fez, usará a crise como argumento e mais uma vez, pouco vai fazer. Adianta reclamar? Não, pois foi a maioria (mesmo que sem pensar), que escolheu tal cenário para os próximos quatro anos. Não falo de um município especifico, pois há vários na mesma situação.

     Você que está lendo este texto deve estar se perguntando: “Mas ele só está falando em política?”. Sim, estou. Tanto na esfera nacional, quanto na estadual e municipal. Infelizmente, estes poderes são ou deveriam ser os indutores do desenvolvimento. Eles não realizando um bom trabalho, reflete diretamente na crise que assola a todos.

     Agora, falando sobre economia, o ano de 2017 deverá ter um crescimento tímido e muita dificuldade no cenário internacional. Para economista, as perspectivas para a economia indicam leve melhora em relação a 2016, mas apontam para um caminho cheio de percalços rumo à retomada da produção e do consumo.

     Especialistas garantem que o quadro político também retarda a recuperação da economia. Para eles, o país precisa superar as pendências políticas antes de voltar a crescer, mas essa é apenas uma parte da solução.

     Finalizando esta análise, mostramos que pouco ou nada temos que esperar de 2017, pois ele deverá ser um ano igual ou pior que 2016. Nosso único alento é ter fé, e manter a esperança de dias melhores, esquecendo de olhar a realidade para não nos apavorarmos. 

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: