Política

Audiência pública indica restrição ao orçamento 2018 de Garibaldi

10/11/2017 - Fonte: Portal Adesso - Foto: Reprodução

Compartilhe:

     Emenda proposta pela Comissão de Orçamento e Finanças da Câmara de Vereadores tem por objetivo fiscalizar mais o Executivo

     Importante para discutir o orçamento do Poder Executivo para o ano de 2018, a sessão não teve adesão dos parlamentares da casa. Outra ausência sentida pela presidente da comissão, Rosani Flores (PP), foi a comunidade garibaldense. Contudo, algumas sinalizações foram feitas pela comissão, que fará uma barreira para as suplementações orçamentárias.

     Com apenas três vereadores, a audiência pública para debater  o orçamento de 2018 em Garibaldi, a sessão iniciou com um discurso da presidente da Comissão de Orçamento e finanças, Rosani Flores (PP), que desabafou, em tom de crítica, a ausência da população em um momento relevante da gestão pública. “Quero registrar o meu repúdio, pois é muito fácil criticar o vereador ali fora. A comunidade deveria estar aqui para saber o que que o vereador está fazendo” e completou dizendo que os indivíduos que criticam o parlamentar é porque não se interar das atividades dos mesmos. “Quem critica não tem o conhecimento da importância que tem o vereador e do que ele está defendendo nesse parlamento”, afirmou Rosane.

     Quanto às indicações realizadas pela comissão, haverá uma emenda junto à suplementação orçamentária. Segundo lei vigente do município, o chefe do executivo pode utilizar mais 10% do orçamento total para investimentos. Contudo, a presidente explica que regra proposta visa restringir utilização desses recursos extras. “Estamos determinando que a utilização da metade dos recursos extras sejam solicitados à Câmara de Vereadores, com isso a casa poderá saber onde será aplicado o dinheiro”.

     Os ajustes no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias serão apresentados na próxima sessão ordinária da casa.

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: