Política

MP aguarda perícia de apreensão contra vereadores em Bento

04/06/2018 - Fonte: Difusora 890

Compartilhe:

     A “Operação 165” realizada na manhã desta segunda-feira (04), pelo Ministério Público na Câmara de Vereadores de Bento, com apoio do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) Núcleo Serra e das Promotorias de Justiça de Bento Gonçalves e da Especializada Criminal da Capital, foi o segundo passo em uma investigação que iniciou pelo órgão ainda em maio.

     Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, sendo quatro em gabinetes da Câmara e quatro nas casas de parlamentares. A ação culminou com a apreensão de celulares e aparelhos eletrônicos. “Iniciamos a apuração de suposta prática de corrupção dentro da Câmara. Em uma serie de oitivas que iniciamos deram base para os pedidos de mídias e documentos que pudessem servir de provas”, comentou o promotor Alécio Silveira Nogueira.

     Não foram citados pela Promotoria os gabinetes que foram vistoriados, já que o caso tramita em segredo de justiça. Nogueira também reforçou que o MP não irá interferir no trabalho do Poder Legislativo.

     “O que se busca são situações pontuais, se busca a verdade, elementos necessários”, disse o promotor Gilson Medeiros, que participou da entrevista coletiva nesta tarde no MP de Bento.

     Mais de dez pessoas já foram ouvidas e dois parlamentares teriam sinalizado com o oferecimento de valores. A confirmação aconteceu em entrevista para Rádio Difusora, ainda pela manhã, pelo coordenador do Núcleo Serra do Gaeco, promotor de Justiça Reginaldo Freitas da Silva.

     “Os gabinetes alvos de busca foram em razão do que foi dito pelas testemunhas e pessoas envolvidas e da suposta origem da proposta do benefício”, referiu Silva.

     Em uma gravação de uma reunião realizada com moradores, o vereador Gustavo Sperotto (DEM) teria afirmado o oferecimento de R$ 40 mil para vereadores aprovarem emendas que pudessem interferir na construção de prédios no chamado Corredor Gastronômico (ZGT), que corresponde a uma zona que faz um “L” nas ruas Henry Hugo Dreher e Avenida Planalto. Este material chegou até o MP que abriu inquérito civil.

     Agora os promotores ouvirão mais pessoas e aguardam o resultado técnico dos arquivos que estão em celulares e eletrônicos apreendidos na ação. O nome da operação (165) corresponde ao número de uma emenda parlamentar que teria sido proposta.

     Em dezembro de 2017, o Projeto de Lei que “dispõe sobre a ordenação territorial do município e sobre a política de desenvolvimento municipal e de expansão urbana, aprova o plano diretor municipal e dá outras providências” foi retirado de votação na Câmara Municipal. A Legislação prevê a votação do Plano Diretor revisado até junho deste ano.

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: