Turismo e Gastronomia

Serra Gaúcha no evento mundial do Slow Food

13/09/2018 - Fonte: Portal Adesso Foto: Augusto Tomasi/divulgação

Compartilhe:

     Convívio com sede em Garibaldi terá quatro representantes na delegação brasileira que vai ao Terra Madre, de 20 a 24 de setembro, na Itália

     O futuro da alimentação no planeta vai ser discutido na Itália, de 20 a 24 de setembro, e as cidades de Bento e Garibaldi farão parte da delegação brasileira no evento mundial do movimento Slow Food: o Terra Madre. Esse é o maior evento mundial dedicado à comida, que, durante cinco dias, movimenta Turim com a agrobiodiversidade de alimentos do mundo e a discussão de problemas comuns e soluções sobre o tema. Ao todo, serão 900 delegados de 143 países reunidos em torno do lema: Food for Change.

     A comitiva da região é formada pelos agricultores Áureo Salvi e Rosângela Bettú Lazzari; a nutricionista Kelly Todescatto e a jornalista Ana Carolina Azevedo. A agenda inclui palestras, laboratórios do gosto e conferências. Eles também vão acompanhar de perto a exposição de alimentos preservados da extinção por ações do Slow Food nos cinco continentes. Na volta, o grupo vai compartilhar todo esse conhecimento com a comunidade Slow Food na Serra Gaúcha.

     Para apoiar a participação dos agricultores locais no Terra Madre, o Slow Food Primeira Colônia Italiana mobilizou seus associados e a comunidade em uma série de jantares e eventos realizados nos últimos meses com renda revertida para os custos da viagem. Na edição de 2018, o Terra Madre vai dialogar cada vez mais com os visitantes, incentivando a mudança nos hábitos alimentares das pessoas. Food for change será a diretriz mundial do movimento para mudar o sistema alimentar. O objetivo é apoiar as pequenas produções de alimentos de qualidade, duramente afetadas pelo mercado global.

     Durante o Terra Madre, todos serão questionados sobre qual comida escolher, o que significa: que métodos de produção colocar em prática, quais alimentos cozinhar, o que colocar no carrinho de compras. Além de centenas de conferências e fóruns disponíveis para participação, os representantes da Serra Gaúcha ainda vão interagir com áreas temáticas criadas para a discussão sobre produção e consumo sustentável. São elas: Carne e bem-estar animal; pesca artesanal; sementes e diversidade genética; alimentação e saúde; abelhas e insetos.

     Para o movimento Slow Food, a comida que escolhemos nos coloca diante de muitas questões correlatas – meio ambiente, equidade social, economia, política. “Vejo um mundo melhor possível por meio da comida e como lidamos com os nossos recursos”, defende o líder do Slow Food Primeira Colônia Italiana, Rodrigo Bellora.

 

 

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: