Colunistas


Categorias de Vinhos X perfil de consumidores

07/03/2016 Portal Adesso

     O mundo globalizado do terceiro milênio, já não é local das visões românticas dos séculos anteriores em relação ao vinho, cujo atrativo estava, de qualquer forma, reservado a uma elite social. A atração do vinho abrange agora todas as camadas da população. A gama de vinhos à escolha é quase incompreensivelmente vasta, mesmo para um expert. Em termos gerais, podemos categorizar o mercado corrente de vinho em quatro categorias principais:

     1 - O maior grupo de mercado continua, de longe, a ser o dos vinhos que atingem um padrão técnico mínimo, que foram elaborados industrialmente e que são vendidos a preços mais baixos nas lojas, com foco no off-trade. Estes produtos se beneficiam de investimentos desproporcionados em embalagens e publicidade e hoje constituem mais de 2/3 do mercado mundial.

     2 – Inicia-se hoje um segundo grupo de vinhos modernos, que cresce rapidamente, cujo publico alvo é um consumidor mais sofisticado, consciente da marca, mas que segue necessariamente um modelo internacional padronizado, sujeito aos ditames movediços da moda. Estes vinhos justificam o seu prestígio e preços mais altos pelo seus métodos de elaboração, que faz uso de todos os meios tecnológicos, físicos e químicos disponíveis.

     3 – A terceira categoria, os vinhos tradicionais, no melhor sentido do termo é um verdadeiro renascimento numa camada cada vez mais conhecedora de consumidores. Estes vinhos são elaborados em vinícolas próximas aos vinhedos com cuidado e sentido de responsabilidade de um artesão, utilizando métodos naturais, tanto na vinha quanto na vinícola. Refletem as castas regionais das uvas dos quais são feitos, sendo os representantes das castas no mundo. Sua grande vantagem é que se apresentam como vinhos fáceis de beber e de relação qualidade/preço rapidamente reconhecida pelo consumidor.

     4 – Uma quarta categoria engloba os vinhos verdadeiramente notáveis – Vintages ou vinhos de safras espetaculares, que não dão apenas a ilusão de boa qualidade. Este grupo é notavelmente pequeno e sua produção exige o mais alto nível de capacidade, entusiasmo e arrojo. Os vinhos desta categoria distinguem-se por uma intensidade e complexidade de aromas e sabor altamente equilibrados. Não só refletem a casta de uva como também o solo e uma colheita particular, caracterizando assim a máxima expressão de um terroir.

 

MAIS DO COLUNISTA