Colunistas


Estratégias de marketing que tornam alguns produtos mais caros do que outros

21/10/2016 Portal Adesso

O que torna um vinho mais caro do que outro? Há diversos fatores envolvidos nisso, como custos de produção, logística, margens etc, mas, segundo especialistas, há também muito marketing. Ao menos isso é o que se imagina quando falamos da agregação de valor a marca e ou produto.

Estudos mostram que, totalmente às cegas, as pessoas raramente conseguem identificar vinhos mais baratos ou mais caros. Além disso, outras pesquisas mostram que, quando informadas do preço, as pessoas tendem a apreciar mais um vinho em relação a outro.

Portanto, as grandes marcas tendem a trabalhar o marketing de seus produtos em quatro princípios fundamentais que podem ser direcionados a qualquer outra categoria de produtos, conforme abaixo:

1. Primeiro elas se vendem, depois seus produtos

Eles vendem a história de quão singulares e reconhecidas são. Depois contam a história de seu produto. Desde que esta seja verdadeira, apenas vardadeira.

2. Elas percebem que um alto preço é visto como prova de valor

A verdade é que muitas pessoas não querem comprar a marca mais barata. Elas querem estar associadas a Lacoste e não C&A. No mundo dos negócios, se você coloca um preço muito baixo em seus serviços (quando se compara com os da concorrência), isso nem sempre é percebido como diferencial competitivo, pois as pessoas podem acreditar que seu serviço é pior do que o da concorrência.

3. Elas nunca têm dúvidas

Grandes vendedores são aqueles que realmente acreditam em algo firme e apaixonadamente. Não importa no quê. Isso faz com que eles não tenham dúvidas do que estão querendo lhe vender. Eles podem dizer: “Este é o melhor”, com uma cara de total confiança.

4. Elas se especializam em hesitação e ambiguidade

Como você diria para um artista moderno, ou talvez um enólogo, que o estilo que ele está produzindo não é brilhante? Você sequer tem certeza disso. E ele não vai lhe dizer isso. Ele vai lhe colocar na defensiva e testar os seus conhecimentos, desafiando-o a ser capaz de compreender o brilhantismo dele.

 

MAIS DO COLUNISTA