Saúde

Infectologista fala sobre cuidados com a toxoplasmose

26/04/2018 - Fonte: Portal Adesso - Foto: Tamires Piccoli

Compartilhe:

     Segundo médica, o sintoma mais marcante da doença são problemas relacionados visão. Nestes casos os pacientes devem buscar orientação de um oculista. O surto de toxoplasmose em Santa Maria, que já atingiu cerca de 150 pessoas, reacende um alerta para a população. O PORTAL ADESSO conversou nesta quinta-feira (26), com a infectologista Fernanda Marçolla Weber, que trabalha no Hospital São Pedro de Garibaldi, sobre a doença e como preveni-la.

     De acordo com Fernanda, a toxoplasmose é causada por um cisto, que se encontra nas fezes felinas. Ele pode ser contraído pelo contato com gatos domésticos, por meio do tato sem higiene.

     “Apesar das fezes conterem o parasita, o gato utiliza a língua para fazer sua higiene. Com isso, a saliva do animal acaba espalhando a doença por todo o seu corpo”, conta.

     Além disso, o solo onde o animal defecar também pode ser contaminado e, conseqüentemente, todos os alimentos plantados no local, bem como o pasto utilizado para alimentar outros animais e, a carne dos mesmos.

     A toxoplasmose pode infectar quase todas as partes do organismo, incluindo órgãos como cérebro, coração e músculos. No entanto, se a pessoa for saudável, o sistema imunológico conseguirá defender o organismo do parasita sem maiores problemas.

     A atenção maior deve ficar com pessoas que tenham a imunidade baixa, gestantes e portadores de HIV. Os efeitos colaterais são semelhantes a uma infecção comum, com dores no corpo, febre, formação de ínguas no pescoço e, em alguns casos, problemas na visão.

     Como forma de prevenção, Fernanda frisa que sacrificar gatos é algo desnecessário. Lavar as mãos após ter o contato com o animal, além de lavar bem hortaliças e não consumir alimentos de procedência duvidosa, é necessário para evitar a doença.

 

 

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: