Polícia


Polícia acredita que mortes ocorridas em Garibaldi tenham ligação

15/02/2018 Portal Adesso

     A Polícia Cívil de Carlos Barbosa e Garibaldi trabalham em conjunto para solucionar série de crimes que, ao que tudo indica, são motivados por tráfico de drogas.

     As delegacias de Carlos Barbosa e Garibaldi, responsáveis pelas investigações da morte de Renan Carlos Denis Fonseca, 22 e, do corpo carbonizado encontrado em um Kaddet, ambos no bairro Fenchamp, acreditam que os casos estejam interligados.

     De acordo com o Delegado Leônidas Costa Reis, da DP de Carlos Barbosa, Fonseca é apontado como o principal suspeito de ter assassinado Rodinei da Silva, 37, que teve o corpo carbonizado. A motivação seria tráfico de drogas.

     O caso teria iniciado no final de janeiro, quando um integrante de grupo de traficantes, teria pego o Kadett emprestado de Marco Rodrigo da Rosa, 32. O carro, teria sido utilizado matar Silva e após, isso, Rosa teria sido posto em outro veículo e levado para uma cidade vizinha, onde foi baleado.

     Apesar disso, Rosa teria conseguido fugir e retornar para Carlos Barbosa, onde foi hospitalizado. Com isso, Fonseca foi indicado por  Rosa como autor do assassinato de Silva.

     No momento as investigações buscam descobrir o responsável pelo assassinato de Fonseca e, se a sua morte foi proposital, como forma de ‘queima de arquivo’ ou, uma sequência dos demais casos.

     Além disso, o fusca queimado em São Miguel, era propriedade de Fonseca. A polícia segue aguardando o resultado da perícia, para confirmar que o corpo seja de Silva. 

 

 

MAIS NOTÍCIAS