Política


Quem está falando a verdade?

Contratação de um funcionário CC de fora da cidade segue repercutindo negativamente na Câmara de Garibaldi
26/02/2019 Portal Adesso - Foto: Montagem

     Nos bastidores do meio político e nas rodas formada por profissionais da imprensa de Garibaldi, segue repercutindo de maneira negativa,  a contratação de um CC – Cargo de Confiança, para atuar na assessoria de imprensa da Câmara, ato assinado pelo presidente Luiz Flori Castro (PTB). 

     O que alguns vereadores, secretários municipais e profissionais questionam, é a forma com que foi feita a exoneração do antigo funcionário, servidor que atuou no Legislativo de Garibaldi por vários anos e foi demitido com um aviso em sua caixa de correio, mostrando total desrespeito com o ex-funcionário e sua família. 

     Além disso, com muita falta de ética, a Câmara aliciou um funcionário de um órgão de imprensa da cidade, dando alguns reais a mais no salário. 

     Vereadores da oposição e situação e ainda alguns secretários municipais, que não querem seus nomes divulgados, ficaram estarrecidos com esta atitude e lamentam que a atual Câmara de Vereadores de Garibaldi tenha feito este papel. Pelo acordo feito no início desta legislatura, a responsabilidade por esta assessoria é da bancada do PDT, ou seja, do vereador José Bortolini (PDT), o Zé da Patrola e pelo presidente do partido e secretário municipal de turismo Paulo Salvi. Porém, nenhuma decisão é tomada sem o aval do presidente da Câmara, Luiz Flori Castro (PTB). 

Empurra Empurra

     Confrontados e cobrados pela atitude de aliciar funcionário de uma empresa de Garibaldi, que paga os impostos aqui e de contratar alguém de fora da cidade para trabalhar na Câmara, os representantes do PTB e PDT não assumem o ato e um joga para outro a responsabilidade. 

     O presidente Luiz Flori Castro (PTB), diz que a contratação foi uma indicação do PDT de Zé da Patrola e Salvi. Já Salvi e Patrola não confirmam esta informação e dizem que é preciso conferir a verdade. Eles não afirmam, mas dão a entender, que o presidente Castro foi atrás do funcionário e apresentou o nome para o PDT que aceitou. 

     Sem coragem de enfrentar a opinião pública e até colegas políticos, ambas as siglas ficam na retaguarda, tentando empurrar para debaixo do tapete o mau exemplo. Empresários condenam este tipo de atitude. 

     O PORTAL ADESSO, deixa aqui todo o espaço necessário para que o presidente Luiz Flori Castro, o vereador José Bortolini e o presidente Paulo Salvi esclarecem a verdade e expliquem os motivos de tal atitude. Como homens públicos, a comunidade de Garibaldi clama pela transparência nos atos.

MAIS NOTÍCIAS