Economia


E-commerce se torna cada vez mais importante para a indústria moveleira

Região Sul está entre os destaques de vendas do varejo eletrônico, com alta de 66,22%
24/02/2021 Portal Adesso - Foto: divulgação

     Ao final de um ano marcado pela pandemia, que impactou os segmentos econômicos mundiais de forma negativa, poucos poderiam imaginar que 2020 sinalizaria uma nova tendência. A indústria moveleira nunca havia vendido tanto por meios digitais, um formato que tem demonstrado, mesmo em outros segmentos, franca expansão no Brasil.

     Em dezembro de 2020, a alta registrada foi de 53,83%, em relação ao mesmo período de 2019, de acordo com o Comítê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital. Considerando-se separadamente as regiões brasileiras, o Nordeste foi aquela que obteve os melhores índices em dezembro, com aumento de 77,63% nas vendas do varejo eletrônico. Em seguida, aparecem a região Sul (66,22%), Sudeste (48,32%), Centro-Oeste (46,99%) e Norte (39,25%). No ano, o destaque foi novamente o Nordeste (100,34%), também seguido pelo Sul (incluindo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), com 79,22% de alta.  

Teletrabalho rende novo fôlego ao setor moveleiro

     O isolamento imposto para conter o avanço da Covid-19 fez com que as pessoas passassem mais tempo em suas casas e empresas – de acordo com suas atividades – começassem a aderir ao teletrabalho, rendendo fôlego à indústria moveleira. As boas experiências também contribuíram para que o consumidor confiasse mais no comércio pela web, quebrando barreiras psicológicas em algumas categorias, como a moveleira, quando as pessoas queriam ver o material de perto antes de efetivar a compra. Cada vez mais a venda digital, realizada pela primeira vez para atender às necessidades, deve continuar, independente da pandemia. “Aconteceu uma mudanças de hábitos, fazendo com que as pessoas observassem melhor o espaço onde se encontram, desejando torná-lo mais confortável sem perder a praticidade.      O home office teve boa parcela de responsabilidade nisso”, defende Rogério Francio, presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs). 

     O e-commerce que, antes da crise sanitária e econômica, não era muito comum, se tornou um canal adicional de vendas para a indústria de móveis. “As empresas mais preparadas para atuar nesse formato foram aquelas que obtiveram, e seguem registrando, os melhores resultados”, reitera Francio. Esse cenário corrobora a realidade transformada pelo mundo digital, basta verificar o crescimento real de 41,2% do comércio eletrônico em 2020, em relação ao ano anterior, conforme o boletim sobre notas fiscais eletrônicas da Receita Federal. 



MAIS NOTÍCIAS