Política

Rosani e André Busa trocam farpas na sessão da Câmara

12/06/2018 - Fonte:

Compartilhe:

     Foi preciso intervenção do presidente Moisés Neckel para que o bate-boca terminasse. Vereadora da oposição chamou Busa de mentiroso e em seu discurso na tribuna cobrou coerência de órgão de imprensa local.

     A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Garibaldi, realizada nesta segunda-feira (12), se encaminhava de forma tranquila, até a vereadora Rosani Fin Flores (PP), subir na tribuna popular para se manifestar. Rosani comentou sobre uma notícia publicada em órgão de imprensa onde falava que a vereadora queria aumentar o número de vereadores na cidade. ”Pessoas de má fé, de má índole querem denegrir meu nome”, esbravejou a vereadora. Ela ainda disse achar estranho que várias notícias contra a administração municipal não são publicadas, nem quando a mesma vereadora apresenta um projeto de relevância para a população.

     Rosani deu exemplo do caso Esqui, e outros casos envolvendo a administração e cobrou justiça. Ela aproveitou ainda para criticar o filho do prefeito Antônio Cettolin, Diego Cettolin que exerce um cargo público no governo Estadual. “Que moral tem o filho do prefeito, difamando e citando esta vereadora, sabendo que ocupa um cargo político no governo Sartori?. Ela mostrou documentos e falou sobre o salário de R$ 8.500 que ele recebe como cargo de confiança e finalizou dizendo: “Com este salario daria para pagar três vereadores. Querem pregar moral! Primeiro tem de se olhar no espelho”, concluiu.

     Após o pronunciamento de Rosani, o vereador Tiago Ferranti (PP) a sucedeu na tribuna e elogiou a atitude da companheira. O oposicionista também fez duras críticas ao governo municipal e aproveitou para fazer diversas cobranças.

     Logo depois de Ferranti, ex-presidente da Câmara, André Busa (MDB), subiu na tribuna para se manifestar. Ele iniciou sua fala pedindo calma e que os colegas da câmara evitassem brigas e disputas. Logo depois, Busa afirmou que toda a bancada do PP é favorável ao aumento do número de vereadores e aumento do salário dos servidores, momento em que a vereadora Rosani pegou o microfone e pediu aparte. Como Busa não autorizou, ela começou a chama-lo de mentiroso e ouve bate-boca. Coube ao presidente da Casa, vereador Moisés Neckel (MDB) chamar a atenção da vereadora, pois quando existe um orador na tribuna é proibido se manifestar. Mesmo assim, a discussão continuava e Neckel foi enérgico, cobrando postura e respeito ao regimento da casa. Só depois disso, o clima ficou ameno.

     No final da sessão, Neckel mais uma vez solicitou que todos os vereadores respeitassem o regimento e que não interrompessem os colegas durante a tribuna. “Isso vale para todos, situação e oposição”, disse Neckel.

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: