Trânsito

Atropelamento questiona necessidade de sinaleiras em Carlos Barbosa

18/06/2018 - Fonte: Portal Adesso - Foto: Arquivo / ADESSO TV

Compartilhe:

     Grave atropelamento ocorrido na principal rua da cidade, mostra a necessidade de se repensar o trânsito no município. Secretário Municipal de Segurança e Trânsito falou sobre o assunto.

     Na noite da terça-feira (12), uma estudante de 15 anos atravessava a faixa de segurança na rua Buarque de Macedo, a principal via da cidade, quando foi atropelada por uma perua Kombi com placas de Porto Alegre.

     Além da jovem, um homem também foi atropelado e os dois tiveram ferimentos, sendo que a adolescente com maior gravidade. Ela está internada na UTI em hospital de Caxias do Sul.

     A equipe do PORTAL ADESSO buscou junto ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Carlos Barbosa, os números de ocorrência com vítimas de atropelamentos neste ano, e com base nos dados, entrevistou o secretário Municipal de Segurança e Trânsito, Grandemelo Rodrigues dos Santos. Acompanhe:

PORTAL ADESSO: Carlos Barbosa é uma das poucas cidades do Estado com quase 30 mil habitantes que não possui sinaleira. Será que não está na hora de repensar isso?

Sec. Grandemelo: Recentemente contratamos um Engenheiro de Trafego para analisar várias questões de mobilidade urbana, dentre as quais a possibilidade de instalação de sinaleiras em nossa cidade e quais seriam os tipos de tal instrumento. O estudo está em fase de conclusão e em data oportuna será apresentada ao Prefeito e ao Conselho Municipal de Trânsito e Transporte para apreciação.

 PORTAL ADESSO: Estatísticas dos Bombeiros Voluntários mostram que só em 2018 já ocorreram seis atropelamentos nas faixas de segurança da cidade. Na sua opinião qual seria o motivo para estes acidentes?

Sec. Grandemelo: O trânsito baseia-se em três “E" Engenharia - Contratamos recentemente um técnico. Esforço Legal: Estamos reestruturando a Secretaria no tocante ao trânsito, com possibilidade de incremento na fiscalização e criando uma sistemática de indicadores, até então inexistentes, que permitiram uma ação e planejamento racional do Gestor; e por fim Educação - talvez aqui esteja o grande x da questão. Carlos Barbosa por muitos anos destacou-se pelo respeito a faixa de segurança, sendo esta uma característica dos barbosenses. Com o crescimento da cidade, recebemos várias pessoas oriundas de outras culturas e que nem sempre se respeita a faixa, além do que nossa geração de barbosenses, nova, traz consigo uma deseducação no trânsito.

PORTAL ADESSO: Existe um tabu ou algum tipo de crença para não implantar Semáforos em Carlos Barbosa?

Sec Grandemelo: Não se lida com tabus ou crenças em áreas técnicas, há que se observar a necessidade e viabilidade, juntando-se com o fator preponderante do trânsito, quer seja, a segurança das pessoas.

PORTAL ADESSO: Qual sua opinião sobre o atual trânsito do município?

Sec. Grandemelo: O Trânsito de Carlos Barbosa vem num crescente em números, que se por um lado representam o poder aquisitivo de nossos munícipes, por outro trazem o desafio de fazer transitar em ruas projetadas em tempos idos, sem pensar no cenário atual. De modo geral ainda temos um trânsito possível de organizar-se e o investimento em educação, ações preventivas serão cada vez mais fortes, além é claro da repressão. Pense num filho: Você educa com todo amor e carinho, mas ás vezes há necessidade de uma postura mais forte, deixando claro os princípios de autoridade e respeito ao próximo, norteadores da liberdade do cidadão. A liberdade requer ORDEM.

PORTAL ADESSO: Em cerca de menos de 500 metros, da rótula na entrada da cidade, até a prefeitura existem quatro faixas de segurança. Por se tratar da principal via da cidade, onde é necessária uma maior fluidez do trânsito, será que não é muita faixa de segurança?

 Sec. Grandemelo: Como antes mencionado, estaremos apresentando em breve um estudo atualizado sobre o nosso trânsito e, com certeza tais questionamentos se farão presente.

 

Número de atropelamentos preocupa os Bombeiros

     De acordo com os Bombeiros Voluntários, só neste ano foram seis atendimentos a vítimas de atropelamento na cidade, três apenas nas ultimas semanas. Número bastante elevado se compararmos com outras cidades do mesmo porte de Carlos Barbosa.

     Além disso, os próprios bombeiros enfrentam dificuldades em deslocamos para ocorrências, pois muitas vezes os pedestres entram na faixa de segurança sem olhar para os lados e mesmo com a sirene ligada, os bombeiros necessitam parar para que o pedestre utilize a via.

     Muitas vezes, o tempo perdido nesta parada, prejudica o atendimento de emergência à vítima que está dentro da ambulância dos bombeiros. 

 

 

Compartilhe:

deixe seu comentário

Publicidade: